Pedalando em Tiradentes (MG)

Há algum tempo fui fazer um trabalho na região de Tiradentes, em Minas Gerais. Aproveitei um período livre para visitar a cidade e acabei fazendo um rolê de bike por lá. Foi daquelas situações onde a oportunidade aparece, sem ter planejado antes.

Quando cheguei de carro em Tiradentes passei em frente a uma agência de turismo de aventura, a Uai Trip. Pretendia pegar informações genéricas e descobri que eles alugavam MTB básicas. Perguntei sobre algum possível roteiro e eles falaram da Trilha da Caixa D’Água. A trilha na verdade é uma estrada de terra sobre o leito da antiga linha férrea Oeste de Minas (EFOM). Era uma oportunidade de conhecer um outro lado de Tiradentes e aluguei a bike.

O roteiro sai da rua que passa atrás da estação de trem. Siga em direção a Caixa d’Água (ou então ao restaurante Sabor Rural). Este trecho é totalmente plano até o km 18, onde está a antiga e abandonada estação de Prados (depois descobri que o nome dela era Estação Pinheiro Chagas). É um trecho muito bonito, seguindo o Rio das Mortes e passando por lugares de muito verde e paisagens rurais. A visão constante da Serra de São José é um ponto alto do pedal.

Estação de trem de Tiradentes

Estação de trem de Tiradentes. A trilha começa na rua atrás da estação.

Em torno da Estação Pinheiro Chagas tem um pequeno vilarejo, onde tem um boteco para tomar algo e comer alguma coisa básica (paçoquinha, salgadinhos, etc).
Antigo leito da ferrovia na Trilha da Caixa D'Água

Antigo leito da ferrovia na Trilha da Caixa D’Água

Estação abandonada de Pinheiro Chagas, Prados

Estação abandonada de Pinheiro Chagas, Prados. Estou olhando para a estrada de onde vim de Tiradentes.

É uma pena que a estação esteja tão mal conservada. O telhado caiu e não deve demorar muito para o restante do prédio cair também. Fiz uma pesquisa na internet e encontrei algumas fotos, que mostram a estação em melhores condições, quando o trem ainda passava por lá.

Esta página tem um pouco mais de história sobre a estação Pinheiro Chagas:
http://www.estacoesferroviarias.com.br/rmv_efom/prados.htm

Foto antiga da Estação de Prados. Acervo Hugo Caramuru

Foto antiga da Estação de Prados. Acervo Hugo Caramuru

Antiga estação Pinheiro Chagas, Prados

Antiga estação Pinheiro Chagas, Prados. Foto de alguma outra foto mais antiga. Foto: Robertoprados- Panoramio

O roteiro de Tiradentes até a Estação Pinheiro Chagas é muito fácil, tanto por ser plano quanto por ter uma navegação clara (siga sempre o caminho principal). A partir da estação existem dois caminhos possíveis para retornar a Tiradentes: voltar pelo mesmo caminho ou pegar a estrada que passa pelo vilarejo de Bichinho. Resolvi tomar este último.
Da antiga estação deve-se virar a esquerda, cruzar a ponte do Rio das Mortes, chegando-se a uma bifurcação. Toma-se o caminho da esquerda. Depois de muito sobe e desce, chega-se a uma bifurcação no km 27. Deve-se pegar a esquerda, seguindo por um trecho marcado pelos totens da Estrada Real até Bichinho. Parte deste caminho está asfaltado.
Trecho da Estrada Real entre Prados e Bixinho

Trecho da Estrada Real entre Prados e Bichinho

De Bichinho até Tiradentes o calçamento é de pedra e irregular, o que cansa um pouco pela trepidação. Mas a vista da Serra de São José compensa o esforço.

Entre Bixinho e Tiradentes

Entre Bichinho e Tiradentes

Informações do pedal:

Total: 38 km, com ascensão acumulada de ~380 metros

Voltando da Estação Pinheiro Chagas pelo mesmo caminho seriam 36 km quase sem ascensão. Um passeio muito acessível mesmo para quem não pedala com tanta frequência.

Não se esqueça de levar água e usar filtro solar.

Roteiro no BikeMap:

http://www.bikemap.net/en/route/1348266-tiradentes-caixa-dagua-estacao-velha-bichinho-tiradentes

Anúncios

3 pensamentos sobre “Pedalando em Tiradentes (MG)

    • Legal, José Henrique. Além desse roteiro que fiz, acho que deve ter bastante coisa por lá, pois a região tem muitas estradinhas rurais, montanhas e vegetação.

  1. Fiz esse pedal hoje…Trilha tranquila, embora eu não goste de encarar 20 km em terreno plano. O visual é muito bacana, mas quando chega em bichinho, tem que encarar uns 8 km de estrada pé de moleque, no qual vc vai quicando até Tiradentes. Pra finalizar, eu que já estava com problemas na troca de marchas, com o macaquinho pulando dá corrente, acabei por quebra-lo e terminei empurrando a bike até o piso de asfalto, quando peguei um declive até o centro de Tiradentes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s